quarta-feira, 25 de março de 2015

o efeito do sol

laminando tudo de ouro
amarelo dourado
que as lajotas tão feias
nesta luz se transformam
até a Brasília antiga
fica bela
tá na moda envelhecer
nós as duas senhorinhas,
entusiasmadas com o que vemos
sorrimos felizes a cada voltinha,
sempre o mesmo caminho
sempre diferente!
Voltamos renovadas.

terça-feira, 24 de março de 2015

manhã prateada

A luz da pinceladas
prateadas
na pedra nua,
o dia promete.
Quem decidiu ir a praia foi,
 ficou até a tardinha
o ângulo do guarda-sol
a sombra espichada
mostra que o banhista
insiste;
mesmo com um ventinho
até a luz já mudou....
Na casa do pescador
redes descansam
parecem tule
parecem leve
translúcidas
entre as canoas
até o próximo amanhecer.

segunda-feira, 23 de março de 2015

variações sobre o mesmo tema

Não tenho feito outra coisa
ultimamente
mas o contraste do amanhecer
com a noitinha.
Da pra ter esperança
que amanhã
o sol brilhe,
nem que seja um pouquinho.
Dormi com o barulho da chuva
 sonhei
que
coloria o céu
de um azul bem infantil
e desenhava um
arco-íris;
acordei de bom humor!


sábado, 21 de março de 2015

passeio matinal

Enquanto o calor não aperta
nem a chuva que ameaça
vem,
uma multidão de pessoas
todas madrugadoras
seguem pra praia .
O surfista,
o ciclista,
quem caminha
e as mães;
seus bebes cochilam
ao balaço do carrinho
a vida recém começando
muitas fases passarão
serão certamente
os surfistas
engenheiros,
astronautas...
é o futuro
quem sabe...
Eu passo e invejo
 é fim de semana
não consigo acordar cedo
a cama de manhã
me prende,
eu fico
até o sol estar alto.

sexta-feira, 20 de março de 2015

fecha um ciclo

Adeus verão!
Fomos nos despedir,
mesmo que faça sol
amanhã já é outono
muda a luz.
 Ainda nada mudou,
água morna
brisa.
O tarrafeiro ousado
devolvia em seguida
os peixes pequenos
fiquei grata
por isto
pela ousadia
pela foto
 
Aos poucos o mar
também devolve
a praia que levou
devagar
o sol também se poe
a sombra
 se alonga
hora de ir
amanhã
quem sabe
voltar.
 

quinta-feira, 19 de março de 2015

Hoje
na Enseada cabia um ciclista solitário.
 
Ontem
o mar da Prainha
recuou
para poder caber
 uma legião
olhando o mar
tantos
quantos coubessem
mas não havia
quase ninguém
 

quarta-feira, 18 de março de 2015