Arquivo do blog

sábado, 23 de setembro de 2017

sem folhas a folha


A árvore sem folhas
folha
em branco aceita
haikai
aceita não reclama
as palavras 
 poesia
enxuta
escrevo
meu amor nas palavras de alguém
paz
reconciliação
vida vence sempre
não importa como

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

morta e despida



Às oito na Babitonga
a sua beleza e quietude nos
faz refletir e agradecer  



Às onze de volta a rotina 
a árvore ainda que morta 
mantém a sua beleza
os veios à mostra 
as cores suaves nuanças e dobras
tecido vivo em movimento;
parou, tanto golpe
um deles ai bem abaixo.
Atrapalhava a visão
não suportavam o perfume
 A sombra? Uma ofensa pessoal pra os invejosos 


Tempos de ódio
tempo de luto
segue morta a bela
outras utilidades ganhou 
virou cerca, virou arte, virou bangalas decoradas
virou olhos atentos 
da natureza agredida.



Nua quase toda 
toda a beleza se reconhece nela 
o poeta melhor que eu já falou
A inveja não perdoa 
segue no ataque.
a vida se esforça
folhas secas pelo chão
adubo ou sugeira
depois reclamam do clima 
breve seremos nós os desabrigados
tamanha devastação.



segunda-feira, 4 de setembro de 2017

o banco de sol


Do jeito que caiu ficou
tão pesada a madeira é
me restou o exercício de paciência
despir a sua casca grossa
por à mostra a madeira nua
e hoje depois da noite mal dormida
por cor aonde foi sombra
e agora virou lugar pra tomar sol
reservada pensativa
na minha natureza morta
que outros insiste em seguir a matar



Prata brilhante
reflete o azul do ceu
neste inverno
ensolarado
seco que só.
Que a primavera 
siga
  chuva vem a noite 
pra lavar as energias.

sábado, 2 de setembro de 2017

O banquinho da Beatriz


Nove meses 
de pura felicidade
eis que chega a menina 
moreninha a Beatriz;
gordinha, uma boneca.
E de ver a faceirice
com que esta avó esperava !
Aguardei uma melhora, 
meus braços não esforçar
e pintei pra vovó
entregar a ela,
certamente vai usar 
e com o tempo sonhar 
viver no mundo da lua
 em seus sonhos navegar
Bem-vinda linda


O gato convalescente
a tudo observava
agora que acabou
foi tirar uma soneca.

sábado, 26 de agosto de 2017

Sol é um convite pra caminhar


Antes que a maré suba


Antes do vento sul.
Descer? 
Escorregar feito menina
 sentada!!


Eu e a areia descendo,
e tira tenis,
tira casaco,
tira blusa,
e sobra pouco.


descalça com o pé na água
todos tiveram a mesma ideia...
Devia ter trocado a roupa
devia ter vindo mais cedo
mas vim do jeito que tava
antes de mudar de ideia!


segunda-feira, 21 de agosto de 2017

A ressaca e a Enseada



Na minha praia não tem jeito
tudo é devolvido la
Parece um guichê de achados e perdidos
aonde só perdidos e descartados ha.
Pois desta vez minha gente até um freezer!
Destes de brinde de bar
Ou o dono bebeu demais 
Ou a maré chegou lá
A bike estava presa
O dono garimpando
Nestes dias bicudos 
vá que encontre um tesouro...



Mais adiante a Enseada
É como se fosse a kilometros,
tudo calmo bonitinho,
nada de ressaca aqui!
Em compensação;
no verão incandescente
aqui ferve, muita gente!!
e a água? Da piriri!!
Lá na minha praia nada 
Ou melhor, você nada 
ou se afoga
Que ela não é pra amador
é pra surfista experiente
ou pra quem só molha o pé


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

nos braços



Em braços
braçadas
reprimidas
movimentos delicados. 
Apontar a câmera
clicar;
movimentos
gentis
pensamentos
quietos, 
frear as idéias
tempo de esperar!
Esperemos pois!!